Crime está praticamente elucidado e oito pessoas envolvidas presas

Segundo a Polícia Civil do Maranhão, a motivação da morte do prefeito de Davinópolis (MA), Ivanildo Paiva (PRB), em 11 de novembro, foram promessas e acordos não cumpridos ao vice-prefeito José Rubem Firmo (PCdoB), preso na manhã de segunda (31).

Conforme o delegado Praxíteles Martins informou ao G1-MA, Ivanildo Paiva deixou de cumprir o acordo de pagamento de R$ 300 mil após a eleição e não entregou o controle político da Secretária Municipal de Educação a Rubem Firmo. Os acordos teriam sido firmados entre eles na época da campanha de reeleição da dupla. Ivanildo Paiva prometeu ainda se licenciar do cargo por quatro meses para que Rubem Firmo pudesse assumir – o que também não foi cumprido.

Ainda segundo o delegado, para se vingar, a princípio Rubem Firmo articulou uma CPI na Câmara Municipal para cassar o mandato de Ivanildo Paiva, que soube a tempo e conseguiu evita-la.  

“O Rubem então ficou afundado em dívidas, devendo banco e agiotas e começou a se desfazer das empresas dele. Vendeu posto de combustível, padaria e, por fim, estava vendendo a casa que ele morava. Aí, a única alternativa que ele encontrou para assumir a prefeitura e refazer o patrimônio dele foi assassinando o titular. Ele dez isso com a ajuda do Messias, que é um amigo dele e que tem interesses em comum, pois é empresário com interesse em prestar serviço para o município e trabalha com agiotagem. Então eles contrataram as pessoas que participaram diretamente no crime”, concluiu o delegado.

Para o delegado, o crime está praticamente elucidado, com oito pessoas presas envolvidas de alguma forma no homicídio. José Rubem Firmo foi levado para a Delegacia de Homicídios de Imperatriz.

Com informações do G1-MA

Categories: ESTADO