Família não consegue registrar Boletim de Ocorrência por falta de plantão em delegacias de duas cidades

A família de Jurema Feitosa da Silva, 51 anos, moradora da cidade de Estreito (MA), está apavorada com o seu desaparecimento. A mulher esteve na cidade de Carolina, no sul do Maranhão, na quarta-feira, dia 16, na casa de amigos acompanhada do namorado Paulo Iran da Cunha Mendes, por volta das 14 horas, e segundo o que ele informou, iriam a uma propriedade nas proximidades do Povoado Canto Grande (5km de Carolina), onde pegariam uns porcos para levar para Estreito. Jurema não foi mais vista.

Conforme a filha de Jurema, que mora em Estreito, Paulo Iran chegou sem Jurema por volta das oito da noite, dizendo que ela teria ficado na propriedade rural e que ele retornaria no dia seguinte para buscá-la. Paulo Iran saiu muito cedo, antes de ser visto, e não retornou mais. Acreditando no namorado da mãe, a filha passou a se preocupar apenas na sexta (18), à tarde, quando informou aos familiares da cidade de Riachão e Balsas, que iniciaram uma campanha pelas redes sociais em busca de informações de terceiros.

Familiares de Paulo Iran, após procurados por parentes de Jurema, sugeriram que a família buscasse ajuda na Polícia.

SEM POLÍCIA AINDA NO CASO. Quatro dias do suposto desaparecimento de Jurema Feitosa e ainda não foi possível a realização do Boletim de Ocorrência na Polícia Civil. Familiares informam que procuraram as delegacias das cidades de Carolina e Estreito, mas ambas se encontram sem plantão nos finais de semana e que nesse período não realizam esse procedimento básico para o início das investigações.

INFORMAÇÕES. A família distribuiu fotos do casal nas redes sociais e os telefones (99)98838.0165, (99)98445.2578 e (99)98854.5760 para que quem tenha informações sobre o paradeiro de Paulo Iran possa ajudar a elucidar o caso.

Categories: ESTADO