Cidade Em Ação
Powered by Conduit Mobile

POLÍCIA FEDERAL: A operação que desmontou esquema de corrupção comunista no Maranhão

FLÁVIO DINO, ROSÂNGELA CURADO E MÁRCIO JERRY FLÁVIO DINO, ROSÂNGELA CURADO E MÁRCIO JERRY FOTO: REPRODUÇÃO

Presos são pessoas de confiança do gabinete do governador Flávio Dino

 

A descoberta de atuação de uma organização criminosa para desviar dinheiro da saúde pública dentro do governo do comunista Flávio Dino (PCdoB) desmontou o discurso publicitário de um Maranhão Para Todos. A Operação Pegadores desencadeada pela Polícia Federal identificou a prática criminosa que desviou R$ 18 milhões através do apadrinhamento político no preenchimento de cargos e a contratação de 424 funcionários fantasmas.

O governador diz desconhecer tal esquema, nega a existência da relação de fantasmas, mas conforme a PF as investigações começaram em 2015 após a imprensa divulgar imagens do contracheque da enfermeira Keilane Silva, de Imperatriz – no sul do estado – com supersalário de mais de R$ 13 mil.

A PF prendeu 17 pessoas no último dia 16, entre elas, gente muito próxima ao gabinete do governador. É o caso de Rosângela Curado (PDT), já beneficiada por habeas corpus, ex-secretária adjunta de Saúde, e Mariano de Castro Silva, apontado pela Polícia Federal como operador de esquema fraudulentos na secretária.

Rosângela Curado é ligada ao deputado federal Weverton Rocha (PDT), pré-candidato a senador pela chapa que deve tentar reeleger Flávio Dino.

A Polícia Federal também identificou a participação de Lenijane Rodrigues, pessoa de confiança do governador, no esquema de desvio de recursos da Saúde. Jane, como é conhecida, é cunhada do homem mais forte do governo Flávio Dino, o secretário de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry (PCdoB), que é também presidente do Diretório Estadual do Partido Comunista do Brasil. Jane Rodrigues aparece ainda na lista dos 424 funcionários fantasma com salário de R$ 3 mil e segundo a PF controlava a relação dos pagamentos ilícitos investigados.

Reportagens de 2015, que deram origem às investigações da PF, apontam uma suposta ligação da enfermeira Keilane Silva com Márcio Jerry. Conforme o contracheque, a enfermeira teria salário de R$ 3 mil e gratificação e bonificação de R$ 10 mil. Veja imagem abaixo.

Alegando perseguição política, uma semana após as prisões Flávio Dino garante desconhecer a relação dos fantasma e exige cópia da lista para providências legais. A juíza federal Paula Souza Moraes deferiu o pedido feito pela Procuradoria-Geral do Estado (PGE) no bojo da Operação Pegadores, autorizando a entrega de cópia da relação dos fantasmas um dia após a deflagração da operação.

Com informações de O Estado e Atual7

Ler 467 vezes
Avalie este item
(1 Votar)
Publicado em ESTADO

Conecte-se conosco

Style Setting

Fonts

Layouts

Direction

Template Widths

px  %

px  %