Nome das denunciantes foram preservados para evitar constrangimentos no HMC

Apesar de vir monitorando o caso da morte de um bebê no Hospital Municipal de Carolina a alguns dias, somente na tarde desta segunda (10), o CIDADE EM AÇÃO recebeu 22 prints de conversas sobre o assunto em um grupo do Whatsapp de gestantes que fazem acompanhamento pré-natal na Secretaria Municipal de Saúde. As conversas no aplicativos são de entre  sábado, 24 de novembro, provável data da morte do bebê, e segunda, dia 26 do mesmo mês.

A primeira denúncia é de uma gestante que está no grupo do Whatsapp e que estava presente na Emergência do HMC aguardando atendimento quando o fato ocorreu. “Eu estava no hospital. Começaram um parto normal de um prematuro que só saiu a cabeça do feto [bebê], depois não deu certo foram pra cesariana,o feto [bebê] faleceu… a mãe entre a vida e a morte com apenas 16 anos, tudo por um infecção de urina que não foi tratada quando chegou reclamando sexta-feira na emergência e foi mandada para casa. Fiquei apavorada, fui para emergência por não está muito bem, o médico nem se encontrava lá, voltei para casa no mesmo estado que cheguei lá”.

DENÚNCIA NA CÂMARA. Esse não é um caso isolado durante a gestão do prefeito Erivelton Neves, do Solidariedade. Em 2017, o vereador Marquinho Cirilo (PSD) denunciou na Tribuna da Câmara a morte de outro bebê por descaso da Secretaria de Saúde. Segundo o parlamentar, a família o procurou para denunciar o caso. A mãe nos últimos dias de gravidez, moradora da região do Jenipapo – na zona rural –, veio à cidade no dia 9 de junho. Desde aquela data procurava o Hospital Municipal de Carolina para ser atendida e para que seu parto fosse realizado. Em todas as suas idas ao HMC, o médico atendente informava que ainda não era o momento do parto e orientava que a mãe retornasse outro dia. No dia 26 a mãe foi mais uma vez ao HMC. Desta vez, muito aflita e sentindo dores muito fortes. O hospital sem condições de realizar partos, o médico de plantão a encaminhou para a cidade de Araguaína (TO). O bebê morreu na viagem. Clique Aqui para saber mais

OUTRO CASO. O casal Josimar Rodrigues Sousa, 22 anos, e Letícia Arruda da Silva Xavier, 19 anos, moradores do Bairro Brejinho, se preparam para o momento do nascimento do primeiro filho. Às 3h40min da madrugada de 1º de outubro de 2017, chegaram ao Hospital Municipal de Carolina.Retornaram para casa tristes, com a dor profunda da perda de um filho tão esperado. O caso é investigado pelo Ministério Público por negligência no atendimento no HMC.

Pelos exemplos dos casos anteriores, o bebê morto no último dia 24 de novembro será apenas mais um número nas estatísticas de mortes prematuras do Ministério da Saúde – se as informações forem enviadas para lá.

Gestantes denunciam morte de bebê no HMC
Gestantes denunciam morte de bebê no HMC
Categories: CAROLINA