(…) e não adianta o cidadão de bem denunciar porque a Justiça não faz nada!

No dia 18 de fevereiro, a presidente da Câmara Lys Jácome assinou contrato de fornecimento de combustível para a frota de veículos da Câmara Municipal com o Auto Posto Santa Cruz, no valor de R$ 49.506,00. O contrato faz parte do Pregão Presencial Nº 02/2019 e surpreende porque a presidente contratou o combustível no mesmo dia em que contratou a camionete Toyota Hilux 2012, através do Pregão Presencial Nº 05/2019, de Miraneide Bastos Medeiros, no valor de R$ 96.600,00 – o que deixa claro que o Legislativo não tem frota alguma de veículos, e é apenas meio para desviar dinheiro público.

A presidente paga mensalmente ao Auto Posto Santa Cruz o valor de R$ R$ 3.838,02 e pelo aluguel da Toyota Hilux 2012 o valor mensal de R$ 8.300,00 – que somados chegam ao gasto de R$ 12.138,02 e somente a presidente tem o direito de utilizar os “benefícios”, o que também desmente a justificativa inserida nos contratos de que seriam para atender às necessidades da Câmara, ou seja, também dos demais parlamentares.

MAIOR PREÇO! O processo licitatório que contratou o combustível para a falsa frota de veículos surpreende mais ainda. Outras duas empresas de combustíveis tiveram seus preços de gasolina e óleo diesel consultados. Diante dos preços apresentados, a presidente decidiu contratar o Auto Posto Santa Cruz, que apresentou os maiores preços – contrariando um dos princípios legais das licitações, que é a decisão pelo menor preço.

ABSURDO! A contratação da camionete Hilux 2012 (07 anos de uso) por R$ 8.300,00 é outro abuso de uso indevido do dinheiro público em Carolina. O CIDADE EM AÇÃO consultou os preços de uma das maiores locadoras de veículos do país. A Localiza informa em seu sistema de consultas que, por exemplo, o aluguel de um Jeep Compass 2019 por 30 dias sai por R$ 5.478,82 – R$ 3 mil a menos do que a locação de um veículo velho com sete anos de uso, como no caso da Câmara de Carolina.

NOTA DA REDAÇÃO. O cidadão de bem não tem para quem reclamar. Não adianta ir ao Ministério Público denunciar e apresentar todas as provas. Se o MP aceitar a denúncia e promover alguma ação judicial, a Justiça do Maranhão, em Carolina, não faz nada. Não faz nada e fica por isso mesmo! Exemplos? Mais de 60 ações judiciais promovidas pelo MP contra irregularidades com dinheiro público na gestão do prefeito Erivelton Neves, da Renovação, que dormem sono profundo nas gavetas do Fórum local. Basta, não é mesmo?

BAIXE OS DOCUMENTOS CITADOS ACIMA:

Categories: CAROLINA