Saiba o que a Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT) diz sobre o Coronavirus disease (COVID-19)

Muito se tem falado sobre o Coronavírus, doença que já infectou mais de 87 mil pessoas em mais de 50 países, a maior parte na China, ponto focal da transmissão. Com o aparecimento do novo subtipo do Coronavírus, é comum surgirem algumas dúvidas.

1 – Itens como luvas e máscaras nos protegem da transmissão da doença?
Verdade. O uso da máscara só é recomendado para pacientes com casos confirmados e para aqueles com suspeita da doença. Profissionais de saúde devem usar a máscara N-95, enquanto para os pacientes a máscara é a cirúrgica simples. A recomendação para prevenção é descartar as máscaras a cada 4 horas quando em ambientes externos. Dentro de casa, o uso da mesma máscara deve se manter até que ela fique úmida ou suja.

2 – Pessoas com máscaras podem contrair o Coronavírus?
Verdade. A máscara protege contra a doença, mas não a evita. Existem outras formas de contrair o Coronavírus mesmo estando de máscara. A principal forma de contágio é através do ar, quando a pessoa contaminada tosse ou espirra, espalhando o vírus. Outra forma é o contato das mãos em superfícies contaminadas em até 24 horas após a eliminação do vírus, por isso é importante evitar tocar olhos, nariz e boca sem higienização adequada das mãos. A lavagem das mãos deve ser feita com água e sãbao, além do uso de álcool em gel ou álcool 70%. Além da palma da mão, a lavagem deve incluir o dorso, entre os dedos e o pulso.

3 – A taxa de mortalidade do novo Coronavírus é maior do que a de outras manifestações do vírus?
Mito. De acordo com estudo realizado pelo Centro Chinês de Controle e Prevenção de Doenças (CCDC), a taxa geral de mortalidade do Coronavírus é de 2,3%. Em pessoas com mais de 80 anos chega a 14,8%. Em comparação a outros coronavírus já registrados, como a síndrome respiratória aguda grave (Sars) e a síndrome respiratória do Oriente Médio (Mers), o novo Coronavírus não é tão mortal. A taxa de mortalidade do Sars era de 10% e a da Mers em torno de 20% a 40%. No entanto, o nível de transmissão do novo Coronavírus é maior.

4 – Existe um exame capaz de detectar a existência do Coronavírus no corpo humano?
Verdade. É possível fazer o diagnóstico laboratorial específico para Coronavírus, através da detecção do genoma viral. Além disso, com a investigação clínico-epidemiológica se avalia histórico de viagem para o exterior ou contato próximo com pessoas que tenham viajado para fora do país.

5 – Cães e gatos podem transmitir a doença?
Mito. Não há evidências de que animais domésticos podem ser via de transmissão do Coronavírus, mas se recomenda sempre lavar as mãos após brincar com os pets.

6 – E o contato com a carne de animais silvestres, pode ser uma via de transmissão?
Verdade. Além do contágio entre os humanos, existe também a possibilidade de contágio através de animais silvestres como morcegos e cobras.

7 – Correspondências vindas da China correm o risco de transportar o vírus para outros locais?
Mito. O vírus sobrevive no máximo 24 horas fora do corpo humano, por isso não é possível que ele seja levado para outros locais do mundo através de objetos e cartas.

8 – Existe vacina contra o novo vírus?
Mito. Assim como não há vacina, também não há tratamento específico. Tem sido indicado repouso, consumo de líquidos, alimentação saudável e algumas medidas para aliviar os sintomas, como medicamentos para dor e febre. No caso de febre persistente, o indicado é procurar o serviço médico.

9 – Os sintomas são parecidos com o de um resfriado comum?
Verdade. Em caso de febre, tosse e dificuldade para respirar, é preciso ficar alerta. Em alguns casos, também há complicações respiratórias, podendo evoluir para pneumonias.

Da Sociedade Brasileira de Pneumologia e Tisiologia (SBPT)

Categories: OPINIÃO