Parque Nacional tem dois grandes sítios arqueológicos de gravuras rupestres

No final de 2019, o ambientalista e diretor do Parque Nacional da Chapada das Mesas, Deijacy Rego, ao fiscalizar a região da Gleba Menor, no município de Riachão (MA) – 594 km da capital do São Luís, chegou ao local que batizou de Morro do Retiro. Ali encontrou o que, segundo ele, é uma das maiores descobertas arqueológicas de gravuras rupestres de toda região.

O diretor do parque informou que dois pesquisadores, Danielly Morais Rocha Marques – arqueóloga e coordenadora do Centro de Pesquisa em Arqueologia e História Timbira (CPAHT) e Deusdédit Carneiro Leite Filho – arqueólogo e diretor do Centro de Pesquisa em História Natural e Arqueologia do Maranhão (CPHNAMA), que estavam pesquisando na região e já deveriam ter publicado seus artigos científicos, preferiram fazer novos levantamentos após a descoberta das gravuras no Morro do Retiro. Deijacy Rego não precisou a época da produção das gravuras porque prefere aguardar a conclusão dos estudos dos especialistas.

No último dia 28 de novembro, uma equipe de reportagem da TV Mirante esteve no local e a matéria sobre a descoberta deve ir ao ar ainda esta semana.

As gravuras rupestres no Morro do Retiro, ao lado das gravuras do Morro das Figuras (Carolina-MA) – também dentro do Parque Nacional da Chapadas das Mesas e registrado no Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN) – são dois sítios arqueológicos de extrema importância para a história da região do Cerrado Brasileiro, bem como para o crescimento da importância da preservação ambiental de uma das regiões mais ricas em beleza natural do Brasil.

“Nossa descoberta já está sendo registrada no IPHAN e estamos elaborando um plano de visitação dos turistas ao local”, afirma Deijacy Rego.

FOGO. As gravuras rupestres do Morro das Figuras, ainda alvo de estudos de especialistas, foram afetadas por um incêndio em 2008, que danificou algumas gravuras.

VEJA FOTOS DA REGIÃO DO MORRO DO RETIRO

Categories: CHAPADA DAS MESAS