Insatisfação por atraso de salários e corte do adicional de insalubridade

Alvo de dezenas de recomendações e ações promovidas pelo Ministério Público do Maranhão, a Secretária Municipal de Saúde de Carolina é também alvo de insatisfação de servidores, especialmente após o prefeito Erivelton Neves, do Solidariedade, deixar boa parte deles sem salário durantes as festas de final de ano, além de estar a quinze meses sem pagar o adicional de insalubridade aos profissionais do setor – o que significa R$ 1.590.000,00 a menos nos salários e em circulação no comércio local.

O estopim da insatisfação de vários servidores da Saúde, entre concursados e contratados, é uma gratificação no valor de R$ 1.000,00 paga à técnica de Enfermagem Graciara Bezerra Oliveira, esposa do vice-prefeito Ésio Lobá, do mesmo partido do prefeito. Imagem do sistema interno da Saúde enviada ao CIDADE EM AÇÃO não consta o motivo dentro da legislação para o pagamento de tal vantagem à esposa do vice-prefeito, recentemente alvo de procedimento do MP, que chegou sugerir sua exoneração do cargo de Secretário de Educação por incompetência na gestão do transporte escolar.

Aqui no hospital os servidores comentam que a segunda-dama recebe uma suposta gratificação de mil reais pra não fazer nada”, diz uma das pessoas denunciantes. Uma segunda pessoa e que enviou a imagem da tela do sistema diz que “os babões e a segunda-dama receberam seus salários”, em referência ao não pagamento de salários a alguns servidores.

Imagem do Sistema Interno de Controle da Secretaria Municipal de Saúde
Categories: CAROLINA