Presidente do Legislativo não teve o interesse pela luta dos profissionais da Educação

Após deixarem o prédio da Câmara Municipal de Carolina, uma comissão de professores esteve na redação do CIDADE EM AÇÃO para demonstrar sua indignação contra as atitudes da presidente da Câmara, a vereadora Lys Jácome [foto acima], durante a sessão desta terça (15), Dia dos Professores, na qual deveria ser discutido o Projeto de Lei que dispõe sobre a garantia do pagamento dos 60% dos precatórios do FUNDEB – um direito que vem sendo alvo da luta da classe a bastante tempo e que depende de Lei aprovada pelo Poder Legislativo.

Conforme os professores, a presidente da Câmara tratou a presença dos profissionais com descaso, impedindo a manifestação espontânea, como fizera com os moradores do Bairro Brejinho, quando reclamavam da péssima qualidade da água que têm sido obrigados a consumir. Os professores informaram ainda que os vereadores aliados ao prefeito fingiram ser de acordo ao projeto, mas sempre colocaram dificuldades para oferecer apoio à causa.

Indignados, os professores foram obrigados a deixar a sessão antes do final por se sentirem desprestigiados pela vereadora Lys Jácome e do vereador Marquinho Cirilo (PSD), que disse que neste momento as portas do Legislativo estão fechadas para tratar do assunto.

Os professores também destacaram o apoio dos vereadores Giliard (DEM), Toninho Lund (PSC), Fernando Filho (PMN), Ernesto Nascimento (PRB) e Aldo Machado (PSDB), que são os autores do Projeto de Lei que deveria entrar em discussão no Legislativo. Segundo eles, os parlamentares da base de apoio ao prefeito se mostraram indiferentes, além de não incentivarem a discussão do projeto de lei.

O vereador Giliard, que também é servidor municipal e sempre atuou nas questões de interesse do funcionalismo, destacou que o projeto foi apresentado na última terça (08) e que a presidente deveria ter encaminhado às comissões da Câmara para que pudesse entrar em discussão pelos vereadores nesta terça (15). “A presidência sabia que hoje deveria haver também a discussão da Lei de Diretrizes Orçamentárias do Poder Executivo para 2020 e que poderia impedir a discussão e a provável aprovação do projeto de lei que beneficiará os professores”, declarou.

O vereador Ernesto Nascimento (PRB) disse que protocolou o projeto de lei na terça (08) e que nenhum parlamentar foi informado de que os vereadores não poderiam discuti-lo hoje, até porque o LOAS foi apresentado pelo Poder Executivo posterior ao projeto de interesse dos professores.

Fernando Filho (PMN) disse que o projeto apresentado pelos vereadores de oposição regulamenta o pagamento aos professores dos 60% dos R$ 29 milhões do antigo FUNDEF, hoje FUNDEB, que serão destinados à Carolina. “Esse valor é referente ao pagamento de reajuste salarial aos professores que entre os anos de 1998 e 2006 não foram repassados corretamente aos municípios”, afirmou. Ainda segundo o parlamentar, o pagamento dos valores aos professores é apenas uma forma de valorizá-los, diante de tantas perdas salariais que vêm tendo.

NOTA DA REDAÇÃO. A presidente da Câmara, a vereadora Lys Jácome, é um escudo do prefeito Erivelton Neves no Legislativo. Sequer valoriza o poder de decisão que tem. Mantém a Câmara Municipal servil e capataz dos interesses do grupo politico do prefeito. Não aprendeu a lidar com o contraditório e por isso mantém ou procurar manter a censura ditatorial dentro do prédio do Legislativo, onde deveria ser a Casa do Povo. A presidente da Câmara envergonha os princípios democráticos que regem um parlamento.

Categories: CAROLINA