O carolinense honesto gasta R$ 36 mil para escolas ter internet e sinal deve ser pago por educadores

Com contrato no valor mensal de apenas R$ 100,00, o CIDADE EM AÇÃO, por exemplo, realiza downloads e uploads de grandes arquivos diariamente sem qualquer dificuldade. Já a Prefeitura de Carolina mantém contrato no valor de R$ 144 mil com um dos provedores locais, mesmo que não tenha arquivos, softwares e aplicativos de gestão pública que exijam sinal de internet contratado por valores extremamente suspeitos de corrupção.

Tem alguém ganhando ilegalmente dinheiro com isso? Somente o resultado de uma investigação policial será capaz de garantir. O que se pode garantir é que professores da rede municipal de várias escolas fazem vaquinha para pagar provedor de internet para utilizar o sinal para suas atividades profissionais, conforme denúncia de três professores de escolas municipais.

ABSURDOS! Conforme o Diário Oficial dos Municípios do Estado do Maranhão, Edição nº 2266, do último dia 17 de janeiro, os secretários municipais Ésio Lobá (Educação), Luciane Martins (Desenvolvimento Social), Andréia Antoniolli (Finanças) e Leonardo Coelho (Saúde), assinaram contrato com um provedor de internet no dia 10 de janeiro, no valor de R$ 144.000,00, dividido da seguinte forma: Secretaria Municipal de Administração, Finanças, Planejamento e Urbanismo 36.000,00; Secretaria Municipal de Desenvolvimento Social-SEDES 36.000,00; Secretaria Municipal de Educação-SEDUC/FUNDEB 25.200,00; Secretaria Municipal de Educação-SEDUC/MDE 10.800,00; e, Secretaria Municipal de Saúde – SEMUS 36.000,00.

Com dois inexplicáveis contratos no valor de R$ 36 mil, a Educação paga mensalmente R$ 3 mil mensais – o que daria, ao valor normal de R$ 100 mensais –, para instalar sinal de internet em 30 escolas.

PALAVRAS BONITAS! Ao que tudo indica, a preocupação do prefeito Erivelton Neves, da Renovação, foi encontrar palavras bonitas para contratar o provedor justificar o negócio com dinheiro público e não para dotar as escolas de internet. Segundo o EXTRATO DO CONTRATO Nº 001/2020-DC/PMC, a empresa foi contratada para “prestação de serviços de fornecimento de link de internet, por meio de fibra ótica redundante com abordagem tripla e via rádio quando necessário na zona urbana e rural, incluindo instalação, manutenção, monitoramento e serviços técnicos”.

Algum professor que paga a vaquinha mensal faz ideia onde os R$ 144 mil irão ser usados realmente?

BAIXE O DIÁRIO OFICIAL Nº 2266Clique Aqui

Categories: CAROLINA