Somente o vereador Aldo do Peixe não se meteu nesse negócio

Durante a sessão extraordinária da Câmara de Carolina nesta sexta (27), na qual foi aprovada por unanimidade a autorização para o prefeito Erivelton Neves, da Renovação, contrair empréstimo de R$ 3,7 milhões junto Banco do Brasil para instalar energia solar na Prefeitura, quando o vereador Ernesto Nascimento justificava seu voto contrário ao projeto por, segundo ele, ter encontrado algumas falhas no projeto, e falava sobre erros do projeto que aumentou a Taxa de Iluminação Pública em 220%, a presidente Lys Jácome chegou a determinar que o microfone da Tribuna fosse desligado, alegando que o parlamentar usava assunto fora da pauta e que o Regimento Interno do Legislativo local não permite.

A presidente se irritou com o vereador Ernesto porque ele disse que na reunião entre os vereadores e o prefeito no seu gabinete minutos antes da sessão iniciar, se tratou de empréstimo de R$ 3,7 milhões, mas minutos depois a gerente do Banco do Brasil falou em valores acima de R$ 4 milhões – ou seja, teria uma coisa no papel e outra na intensão dos contratantes.

O vereador Giliard, ao usar a tribuna, sugeriu que a taxa de iluminação fosse reduzida, sendo acompanhado pelo vereador Toninho Lund. A partir desse momento, o projeto de energia solar entrou em segundo plano. A ideia da redução do aumento de 220% da taxa de iluminação para apenas 215% agradou aos parlamentares que votaram a favor do projeto em 2017.

Para que a opinião pública se tornasse favorável aos mesmos com a proposta de redução da taxa de iluminação, votaram pelo empréstimo que eles mesmo afirmaram em discurso que não apresentava confiança por causa dos péssimos exemplos que o prefeito já havia dado aos parlamentares em outros casos.

No início da sessão todos os parlamentares de Oposição afirmaram ao CIDADE EM AÇÃO, categoricamente, que não aprovariam o Projeto de Lei Nº 29/2019. Mas, ao final todos votaram a favor. E ao votar uma coisa para conseguir que outra também fosse votada, mesmo com as tais desconfianças ditas na Tribuna da Câmara jogaram por terra toda a luta que diziam enfrentar em nome do povo.

Só quem escapou de se meter nesse negócio foi o vereador Aldo do Peixe! Parabéns vereador!

UM SALVE PARA RENATO RUSSO! Ele já explicava isso nos anos 1980

Categories: OPINIÃO