Valores apresentados ao TSE podem não resistir a uma investigação aprofundada

Quem conhece os bastidores de campanhas eleitorais, sem dúvida alguma, desconfia de que o prefeito reeleito Erivelton Neves, da Renovação, não tenha prestado contas ao Tribunal Regional Eleitoral do Maranhão (TRE-MA) corretamente sobre os valores usados nas Eleições Municipais de 2020. Conforme os números apresentados ao TRE, todos aqueles eventos espetaculares realizados em quase noventa dias de campanha teriam custado apenas R$ 140.186,68 – Clique Aqui para consultar no Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

GRANDIOSIDADE! Foram gigantescas carreatas, chamadas no material publicitário de tsunami azul [veja vídeo abaixo], com farta doação de combustíveis praticamente durante todo o dia dos eventos, reuniões semelhantes a showmícios grandiosos, centenas ou milhares de pessoas utilizando camisetas com as cores do partido do prefeito, outras diversas pessoas contratadas, adesivaços de veículos criando uma impecável impressão visual em todo o município, além de não faltar quem, falando a verdade ou não, diga que tenha recebido esse ou aquele benefício. Tudo isso ampliado pelo impacto de obras deixadas para realizar somente durante às vésperas ou durante o período eleitoral – neste caso não sendo contabilizadas na prestação de contas de campanha eleitoral.

Um político experiente consultado pelo CIDADE EM AÇÃO informou que somente uma carreata em padrões muito inferiores às do prefeito reeleito em 2020 custaria em torno de R$ 30 mil.

Acessando os dados apresentados por Erivelton Neves ao TRE, e com a mais básica avalição, observa-se facilmente que os números podem não corresponder com o efeito visual criado para reelegê-lo.

Fonte do CIDADE EM AÇÃO informa que os valores apresentados na prestação de contas de campanha de reeleição de Erivelton Neves não resistiriam a uma investigação aprofundada do Ministério Público Eleitoral do Maranhão e que o prefeito poderia perder o mandato e tornar-se inelegível.

Já a campanha eleitoral do segundo colocado nas urnas, Jaime da Pipes, teria custado R$ 144.598,80 – R$ 4.417,12 a mais do que a campanha visualmente milionário do prefeito reeleito – e a de Gilma Barros R$ 81.585,11, conforme informações também do Tribunal Superior Eleitoral.

BAIXE DOCUMENTOS DE PRESTAÇÃO DE CONTAS

Vídeo produzido pela equipe de campanha do prefeito reeleito

Categories: CAROLINA OPINIÃO